31 Comentários

  1. sheila policarpo

    Bom dia, como procedo após a quitação do leasing no final dos 3 anos? dou continuidade a depreciação e dessa vez utilizo como despesa pelos próximos 7 anos, visto que 3 anos eu paguei o leasing e não apropriei a despesa?

    Sheila

    Responder
  2. Evandro

    Residual de leasing no imobilizado pode ser depreciado ou amortizado?

    Responder
  3. Evandro

    Residual de leasing no imobilizado pode ser depreciado ou amortizado? Qual a alíquota?

    Responder
  4. Sheila Policarpo

    Bom dia Luis

    O Leasing financeiro de uma máquina da empresa já finalizou, e fez a opção de compra, pagando o VRG junto com as parcelas mensais, a partir de agora, como são calculadas as depreciações e se elas são dedutíveis.

    Esclarecendo que enquanto estava sendo feito o pagamento do Leasing mensalmente, era lançado a depreciação conforme outros bens que a empresa possuía e era considerado indedutível.

    Grata

    Responder

    1. Igor,
      Credita-se normalmente do valor da contraprestação.
      O que deve ser observado é que não se pode utilizar o crédito na despesa de depreciação, já que está creditando pela parcela do leasing.
      Atc;

      Responder
  5. Marcia Sakamoto

    Prof Luis

    Parabéns pelo artigo. Por gentileza uma dúvida. O contrato de Leasing foi fechado com o Banco em 40 milhões, sendo 39 milhões em ativo imobilizado e 1 milhão o Banco cobrou de taxa de compromisso devido os vários fornecedores terem faturado em datas diferentes. Esta taxa de 1 milhão eu poderia diferir e apropriar em despesa conforme a vigência do contrato ? Ou seria um ativo imobilizado ? Muito obrigada.

    Responder

    1. Olá Marcia,
      Primeiramente, não sou professor (rsrsrs), sou um colega seu de profissão.
      Entendo que a contabilização do 1 milhão é diretamente no resultado.
      Abraço!

      Responder
      1. Marcia Sakamoto

        Luis muito obrigada pelo apoio nos esclarecimentos !

        Um abraço

        Responder
  6. Gabriel augusto

    Luis,

    Supomos que eu pague a vista pelo arrendamento e me gerasse um desconto de 50% do valor, esse desconto diminuria minha despesa ou me realizaria uma receita financeira? Qual seria a contabilização?

    Responder

    1. Gabriel,
      Trata-se de um desconto financeiro, e como tal é uma receita financeira.
      A contabilização é:
      D-arrendamento mercantil (financiamentos-passivo)
      C-descontos obtidos (receita financeira)
      C-bancos (disponibilidades)
      Abraço!

      Responder
  7. Daniel de Oliveira

    Luis,

    Nos lançamentos do arrendatário.

    Porque os lançamentos abaixo, ficaram Redutora do Passivo ? Eu achava que seria lançamento a crédito normal no passivo e na contra partida, despesas financeiras.

    D – Encargos Financeiros a Apropriar (Conta Redutora-Passivo Circulante) R$ 3.000,00
    D – Encargos Financeiros a Apropriar (Conta Redutora-Passivo Não Circulante) R$ 3.000,00

    Responder
  8. Beatriz das Dores Silva

    Olá,

    Este caso tem incidência de PIS e Cofins ?
    E a Depreciação é dedutível ?

    Responder
  9. Claudia Silva

    Olá Luis,
    Tudo bem? Parabéns pelo artigo.
    Minha duvida é se o bem deve ser imobilizado no momento da aquisição ou na após a quitação?

    Responder
  10. Felipe Correa

    Luís, por ficou os lançamentos em contas separadas?
    C – Arrendamento Mercantil a Pagar (Passivo Circulante) R$ 18.000,00
    C – Arrendamento Mercantil a Pagar (Passivo Não Circulante) R$ 18.000,00
    De ante mão, parabéns pelo site/artigos

    Responder

    1. Olá Felipe,
      No exemplo, o leasing foi feito em 24 meses. Por conceito, as operações que se realizem em até 1 ano, são contabilizadas no circulante (curto prazo), o que passar desse período, devem ser contabilizados no não circulante (longo prazo).
      Abraço!

      Responder
      1. Marcelo

        Boa tarde,

        Muito bom o artigo, mas como ficariam as situações de PIS/COFINS a recuperar e adições e exclusões?

        Att,

        Marcelo

        Responder
  11. Luciana

    Como ficaria a contabilização se existisse um valor residual a ser pago ao final do contrato?

    Responder

    1. Luciana,
      O VRG agrega no custo do imobilizado. Então, se tiver algum valor de VRG, ele deve ser lançado no imobilizado.

      Atc;

      Responder
  12. André Santana

    Luiz boa tarde.

    Parabéns pela pelo artigo. Uma dúvida no caso do arrendador deve haver também no momento da transferência da máquina o reconhecimento do custo, nao?

    Obrigado,

    Responder

    1. André, obrigado pelo apoio.
      A arrendadora deve proceder a baixa do equipamento no momento da venda, apurando-se o custo.

      Um abraço!

      Responder
  13. Eduardo

    Mas e como fica a contabilização na arrendadora, sendo esta uma instituição financeira? Há algum conflito entre a contabilização na arrendadora segundo as regras da COSIF, CPC e IFRS ?

    Responder

    1. Prezado Eduardo,
      Obrigado pelo comentário. Ele é muito importante para que eu tente melhorar a qualidade dos artigos.
      Atualizei o artigo, e agora temos a contabilização do leasing financeira na ótica do arrendador.

      Um grande abraço!

      Responder
      1. Eduardo

        Muito obrigado pelo seu rápido esclarecimento. Grande abraço.
        Eduardo

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *