Como Contabilizar Aquisição De Bens Para Imobilizado Por Consórcios

Neste artigo vou te mostrar Como Contabilizar Aquisição De Bens Para Imobilizado Por Consórcios.

Em geral, as empresas que participam de um grupo de consórcio, pensam em adquirir bens para seu uso próprio, dessa forma, a contabilização dos pagamentos, inclusive os lances para contemplação deve ser feita em conta específica no ativo imobilizado.

Como contabilizar aquisição de bens para imobilizado por consórcios

Pagamento das cotas antes da contemplação do bem:

Supondo que o consórcio é de um veículo, e o valor da cota é R$ 1.000,00, o lançamento deve ser assim:

D – Adiantamentos de Consórcio (Imobilizado) R$ 1.000,00
C – Bancos c/movimento (Ativo Circulante) R$ 1.000,00

Consórcio contemplado e recebimento do bem:

O valor do veículo é R$ 55.000,00, e o seu consórcio foi feito em 60 prestações de R$ 1.000,00. Foram pagas 15 (R$ 15.000) e ainda restam 45 (R$ 45.000). Assim, o valor total do Consórcio é R$ 60.000,00. Vamos contabilizar da seguinte maneira:

D – Veículos (Ativo Imobilizado) R$ 55.000,00
D – Variações monetárias passivas (Conta de resultado – despesa financeira) R$ 5.000,00
C – Adiantamentos de Consórcio (Imobilizado) R$ 15.000,00
C – Consórcios a pagar (Passivo Circulante) R$ 12.000,00
C – Consórcios a pagar (Passivo Não Circulante) R$ 33.000,00

Nota: Para efeito didático, não considero aqui Fundo de Comércio, Taxas de administração, ICMS sobre o imobilizado. A segregação entre circulante e não circulante, considerei o 12 meses.

Atualização das parcelas:

Com o passar do tempo, as parcelas que ainda faltam pagar, sofrerão reajustes. Esses valores devem ser contabilizados no resultado. Vamos supor que o valor da parcela passou para R$ 1.080,00. Como ainda restam 45 parcelas, o valor da correção fica em R$ 3.600,00.

Vamos contabilizar assim:

D – Variações monetárias passivas (Conta de resultado – Despesas financeiras) R$ 3.600,00
C – Consórcios a pagar (Passivo Circulante e Não Circulante) R$ 3.600,00

A contabilização dos pagamentos das cotas após as correções ficaria assim:

D – Consórcios a pagar (Passivo Circulante) R$ 1.080,00
C – Bancos c/movimento (Ativo Circulante) R$ 1.080,00

Ponto de atenção para aquisição de bens para imobilizado através de consórcios:

Registro do bem pelo valor constante na nota fiscal:

O Parecer Normativo CST nº 1/1983 nos diz que o bem deve ser registrado pelo valor da nota fiscal. Essa prática tecnicamente não é a mais apropriada, pelo Princípio Contábil do Custo como Base de Valor, o bem deve ser ativado pelo seu custo real de aquisição, entende-se aí o pagamento das parcelas e o total da obrigação (que no nosso exemplo, teríamos que imobilizar o valor R$ 60.000). No entanto, a contabilização com base no PN CST nº 1/1983, pode acarretar em menor pagamento de IR e CSLL, que trazendo para o nosso exemplo, representaria aproximadamente 34% de R$ 5.000,00,

De fato é uma situação a ser bem avaliada…

Até o próximo artigo!

Se prepare para as provas do CRC com um dos professores mais renomados do mercado acadêmico. Apostila exame do CRC!

Treinamento Exclusivo Para Te Ajudar a Passar No Exame do CRC >>Confira Aqui<<

Escrita Fiscal! Elevando seu conhecimento para outro nível.

Você quer abrir seu Escritório de Contabilidade? Confira aqui e veja como!!!

7 Comentários


  1. Olá…
    Tenho uma dúvida bastante relevante.

    Fazemos a contabilidade de uma empresa q tem 20 consorcio de terrenos e anualmente os valor do bem atualiza em média 2.000,00 já foram todos contemplados, minha dúvida é se tenho que fazer alguma atualização nesse imobilizado pois embora sejam 120 parcelas percebemos q em breve essa conta vai estourar pois conforme sobe o valor do bem, sobe também a parcela a ser paga, ou seja antes da 120 parcelas terminar já terei usado o valor registrado do bem!

    Responder

  2. Bom dia!
    Tenho uma dúvida.
    Fiz um consórcio de 120 parcelas, efetuei o pagamento de 92 até o momento e fui contemplado. Optei em quitar o saldo das parcelas remanescentes com a carta de crédito. Como contabilizo está operação?
    Obrigado e ótimo trabalho sanando nossas dúvidas!!!

    Responder

    1. Olá Evandro,
      Primeiramente vamos ver o seguinte:
      Nas parcelas do pagamento você deve ter feito assim:
      D – adiantamento de consórcio
      C – bancos
      Aí você foi contemplado e não pegou o bem, você liquidou o saldo restante. Você pode fazer dessa forma:
      D – adiantamento de consórcio (já que não vai querer o bem)
      C – consórcios a pagar
      Aí sim, baixar o passivo:
      D – consórcios a pagar
      C – adiantamento de consórcio
      Provavelmente vai sobrar um saldo.
      Você deve avaliar o que vai fazer com esse saldo. Se for pegar o dinheiro de volta, deve fazer assim:
      D – Bancos
      C – adiantamento de consórcios
      Eventual diferença deve ser lançada no resultado.
      Abraço!

      Responder

  3. Bom dia, excelente matéria, visto que com a falta de tempo acaba nos deixando um pouco com falta de informação para as transações menos triviais. Me ajudou bastante, parabéns.

    Responder

  4. valeu meu jovem. Que Deus abençoe sempre o teu trabalho.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *